domingo, 1 de novembro de 2009

Waldo e Walda vão ao Cinema

- Waldo, o pássaro, está morto.

- Quem é Waldo, o pássaro?

- Ele morreu de catapora, pobre diabo.

- Quem é Waldo, o pássaro?

- Mas não é à toa que morreu dessa perigosa doença. Acho que uma das causas mais comuns de morte entre aves é a catapora.

- Quem diabos é Waldo, o pássaro?

- E te digo como cheguei a essa conclusão. Eles tem penas. Não é possível ver as pintas de cataporas sob elas. Eles não tem mãos ou dedos, o que não permite vê-los se coçar. 

- Mesmo porque eles não conseguem se coçar.

- É exatamente isso o que estou falando. Agora, estamos nos entendendo.

- Mas quem diabos é Waldo, o pássaro?

- Uma ave que morreu de catapora.

- Mas quem é Waldo, o pássaro?

- Mudemos de assunto. Você tá muito repetitivo. Tá parecendo até TOC.

- Você começa falando de uma ave que morreu e não me dá mais informações e eu que tenho TOC?

- Uma namorada que tive, na primeira vez que saímos, me levou para ver Terra em Transe. Acredita?

- Que namorada?

- Não dá, né? Eu devia ter desconfiado que ia dar zebra logo de cara, quando ela sugeriu ir assistir a essa bomba. 

- Que namorada?

- É como assistir a 2 horas de chiado de TV, quando tá mal sintonizada.

- Que namorada?

- Daí, na segunda vez que saímos, me levou em um monólogo do Paulo Autran. Um monólogo do Paulo Autran! Aí não. Mas, mesmo assim, insisti com ela.

- Quem era essa namorada?

- Daí, na terceira vez, ela me levou ao cinema para ver Todo Mundo em Pânico 2. Aí, desisti. Vi que a coisa não ia ter futuro.

- Também desisti de saber quem é a namorada. 

- Chamava Walda. Acho que você não conheceu. Teve catapora enquanto estávamos juntos.

- Morreu?

- Não, não. Ela era uma pessoa, e não uma ave, graças a Deus.

----------------------------------------------

- Colaboração acidental, incidental e ocidental de Vanessa Marques

Um comentário:

Juliano Barreto disse...

"É como assistir a 2 horas de chiado de TV, quando tá mal sintonizada."
mto foda!