quarta-feira, 1 de julho de 2009

Claro, TIM e Demais Lixos

- Pra você ver como são as coisas.

- Que coisas?

- As coisas. Todas elas.

- Do que você tá falando?

- Do seguinte: hoje chegaram para mim várias cartas do correio. Duas delas da Claro.

- A operadora de telefonia?

- É.

- Que estranho. Você não tinha perdido seu décimo sétimo celular e resolvido não ter mais nenhum?

- Pois é. O que você não sabe é que eu decidi que, além de não ter mais celular, eu também iria mandar a Claro às favas e não pagar minha última fatura. Mesmo porque estava carinha, carinha.

- Sei. Mas então chegaram duas cartas da Claro. E daí?

- E daí que... repare na ironia. A primeira carta que abri era um cartão do ClaroClube. Coisa que, obviamente, nunca pedi e nem sabia que existia.

- Esse cartão ClaroClube não dá desconto em um monte de coisas?

- Pois é. Eu não sabia, mas dá sim. Descobri hoje.

- E é irônico te mandarem esse cartão depois que você cancelou tudo e resolveu ser inadimplente?

- Não. O irônico é que hoje também chegou uma carta do Serasa ou do SPC, avisando que a Claro estava tentando colocar meu nome no pau, só porque havia pendências em aberto.

- Eles usaram o termo "só porque" na carta? Isso é juízo de valor, não?

- Não, não usaram. Eu usei porque acho que é pouca coisa para muito terrorismo. 

- Não entendi a ironia da coisa até agora.

- Ué, eles me mandam um cartão da ClaroClube e uma carta do Serasa no mesmo dia. Isso é ou não é ironia?

- Bom, mais ironia ainda seria você usar o ClaroClube para conseguir desconto na sua pendência financeira com a Claro. 

- Nossa! Será que eles dão desconto? 

- Liga lá e pergunta.

- Boa. Me empresta aí seu celular.

- Não preciso nem falar que você não ter um celular para ligar para a Claro para tentar um desconto via ClaroClube na sua pendenga financeira com a própria Claro é bem irônico, não é?

- Não, não precisa. Me empresta aí logo.

- Tá. Mas liga a cobrar. Tô sem crédito.

- Sério?

- É. Tô meio sem grana. 

- Ah, mas deixa comigo. Eu ligo lá na Claro e, via ClaroClube, eu descolo uns créditos para você.

- Mas meu celular é TIM.

- Hummm. Será que na TIM dão desconto para quem tem ClaroClube?

- Acho difícil. 

- Bom, vou pedir. O máximo que pode acontecer é dizerem não. 

- Máximo, máximo, não. Eles podem mandar uns capangas na sua casa e te espancarem, só para você deixar de ser engraçadinho. E, claro, para dar o exemplo.

- Se aparecerem em casa, eu chamo a polícia.

- Como, se você não tem celular?

- Já ouviu falar em telefone fixo?

- Já. Mas, pelo que me consta, telefone fixo você já perdeu 7 vezes antes de desistir deles também.

- É verdade. Bom, posso gritar pela polícia. 

- Esse é o tipo de coisa que não dará certo. Vão pensar que é trote.

- Por quê?

- Porque ninguém mais chama a polícia em alto em bom som, a plenos pulmões. Nem a polícia acredita quando ouve pessoas gritando. Só acredita se a chamada vier via telefone. E, nesse caso, você não tem como chamá-los.

- Vou pegar duas latas, fazer um furinho no fundo, ligá-las por meio de uma linha gigante. Uma lata eu deixo na chefatura de polícia mais perto de casa. A outra, do lado da minha cama. Ao primeiro sinal de perigo, eu chamo a polícia. Por meio desse telefone idiota, eles vêm?

- Sei lá. Mas faz tempo que eu não ouvia isso.

- Isso o que? Esse telefone de lata? Eu falei outro dia dele.

- Não. A palavra chefatura. Muito boa. Preciso usá-la mais vezes.

- Pra você ver como são as coisas.


2 comentários:

Flavinha disse...

Isso do ClaroClube aconteceu mesmo? Pq se aconteceu é o pessoal daqui onde trabalho que manda essas correspondencias hahhahahah
Beijos

Camila disse...

Perfeeeeito esses texto! *-* adorei o seu senso de humor. Sou cronista, se quiser dar uma olhadinha, passa no meu blog. Linkei!
=*