terça-feira, 7 de abril de 2009

Um Brinde à Família Miranda

- Eu considero a ala feminina da família Miranda a mais alternativa do Brasil.

- Que ala feminina da família Miranda?

- Ah, a da Carmen, da Gretchen, essas aí.

- Que Carmen? Que Gretchen?

- A Gretchen do rebolado, a rainda do bumbum. Você conhece outra?

- Tem um filme chamado "Aleluia, Gretchen", mas nem sei do que se trata. E de que Carmen você tá falando?

- A Carmen Miranda. Ou, mesma pergunta, você conhece outra Carmen que não a Miranda?

- Eu tive uma namorada chamada Carminha. Acho que ela chamava Carmen. 

- De qualquer forma...

- E ela achava que eu era criativo. Só porque toda vez que nós íamos para um bar, eu pedia tequila. 

- Pedir tequila é sinal de criatividade?

- Na cabeça da Carminha, era. 

- Estranha a Carminha. Será que o sobrenome dela não era Miranda?

-Acho que era Barnabé. Mas não tenho certeza. Mas diga: por que a família Miranda, em sua ala feminina, é alternativa?

- A Carmen usava um chapéu com bananas e abacaxi da cabeça. Era portuguesa, mas todo mundo achava que era brasileira. E, de quebra, ainda fez um filme com o Zé Carioca. Por fim, é a idola de qualquer travesti que se preze. Isso é que é alternatividade, não?

- Por que?

- Porque se não fosse alternativa, faria um filme com o Mickey...

- Aquele rato nazista...

- ...e usaria chapéu-coco, não chapéu-banana.

- ... que é amigo do Coronel Cintra, um milico facista.

- Além disso, se não fosse alternativa, seria musa de cheerleaders, chacretes ou dançarinas de auditório, não de travestis.

- Por que o Pluto, que é um cão, não sabe falar e o Pateta, que é outro cão, sabe?

- Mas a Carmen não é a mais alternativa da família Miranda, não. A Gretchen ganha.

- Como assim?

-Pensa comigo. Ela foi rainha do bumbum e fez um filme chamado "Aluga-se moças", com erro na flexão verbal e tudo mais. Eu lembro que ela perdia a virgindade... digamos, anal... nesse filme no banco de trás de uma Brasília.

- Sem contar que o umbigo dela é horrível.

- Sim. Mas tem mais. Depois, ela casou e descasou umas 12 vezes, duas delas com o mesmo caboclo, se candidatou a um cargo de prefeita de Itamaracá pelo PPS e ganhou 300 votos. Daí virou atriz pornô, teve uma filha que era uma mega gostosa que virou uma menina-menino, descolou uma sobrinha que nem é muito sobrinha que virou atriz pornô e que perdeu a virgindade em um filme de sexo. Que família agitada, não?

- Sempre dá para piorar. Imagina se a filha dela resolve fazer um implante peniano e, numa dessas reviravoltas do destino, acaba engravidando a mãe. Aí sim, seria alternatividade demais.

- Isso não tem o menor sentido. 

- E Conga Conga Conga tem?

- Mais do que Freak Le Boom Boom, sim.

- Herege!

- Cabeça de mamão!