quarta-feira, 27 de maio de 2009

Chacina (Republicaciones)

- Uma dúvida: chacina é quando matam no mínimo quantos?

- Hummm.

- ...

- Acho que três.

- Mas três é chacina? Ou quatro é chacina?

- Então, se matarem três no mesmo momento já é chacina.

- Três pessoas?

- Como assim?

- Pergunto se chacina é quando são três pessoas mortas.

- Sim, é o que acho.

- E cachorro vale?

- Como?

- Se matarem duas pessoas e mais um cachorro, é chacina?

- Hummm. Depende.

- Depende como? Se for Dálmata, vale como chacina, e, se for vira-lata, vale como matança de
pessoas e mais um cão vagabundo?

- Não sei dizer. Daí precisa perguntar.

- E o que eu estou fazendo?

- Como?

- Eu estou perguntando. E, no caso, é pra você.

- Então, quando eu digo "daí precisa perguntar", quero dizer que precisamos perguntar pra
alguém mais instruído, que esteja por dentro do assunto.

- Como quem?

- Como o Greenpeace.

- A carrocinha serve?

- Hummm. Não sei dizer. Talvez. Mas eu acho que matando três seres vivos ao mesmo tempo, já
é chacina.

- Se forem mortos três cães, por exemplo, é chacina?

- É, mas se trata de uma chacina canicídea. Tem peso meio na escala de zero a dez das chacinas.

- Se a morte de três cães vale meio, quanto vale dez pessoas?

- Pessoas de que tipo?

- Sei lá. Tem diferença?

- Claro. Velhas de andador valem mais. Assim como homens de turbante, mulheres de barba,
freiras, enfermeiras e japoneses de chapéu dentro de Chevetes 79 e com varas de pescar saindo pela janela.

- Ah.

- ...

- ...

- Mas por que a preocupação? Você matou alguém recentemente?

- Não.

- E pretende? Um cachorro? Ou um vizinho barulhento?

- Não, nada disso.

- E por que o interesse no assunto?

- Ah, bobeira...

-Diga.

- Ah...

- ...

- É que eu estava pensando... se eu morrer de uma hora para a outra, em um lugar público, ao lado de um cão moribundo e de uma cigana nas últimas. Se nós três morrermos juntos, dá para considerar chacina?

- Não, claro que não. Já que, nesse caso, vocês morreriam de causas naturais. E, como se sabe, morrer de causas naturais não é chacina. É acaso.

- Acaso ou obra de Deus?

- Faz diferença?

- Claro. Mas nesse caso precisaríamos perguntar para alguém mais estudado.

- Como quem?

- Como aquele senhor na mesa de trás. Tem uma puta cara de religioso. Olha a barba... Olha o turbante... Olha o tique nervoso...

- Você reparou nas piscadelas também?

- Opa.

- Bom, vamos lá?

- Vamos já. Deixa só eu acabar meu Campari.

- Claro. Aliás, bebe tudo. Porque com a cara daquele senhor, é bem fácil ele ser um chacinista em potencial.

- Se fala chacinista ou chacineiro?

- Não sei bem, mas pelos movimentos bruscos do Barba, é tarde demais para perguntar.

Um comentário:

Juliano disse...

"japoneses de chapéu dentro de Chevetes 79". que medo