sexta-feira, 20 de março de 2009

Justiça Sem Limites

— Para mim, um bom filme deve ter sempre uma festa de adolescentes que aproveitam uma viagem dos pais para tocar o terror, um irmão mais velho chato que se dá mal no final, nerds excluídos que são alçados a reis do pedaço de maneira estranha e, se possível, uma música de Oingo Boingo na trilha.
— Eu já acho que filme bom tem que ter muita explosão, viagem no tempo ou mortos-vivos. Juntos ou separados.
— Fica bom também, mas aí é outra categoria. Eu diria que o estilo que eu gosto está mais para Sessão da Tarde, e o seu é no esquema Tela Quente.
— Verdade. Aliás, são dois estilos que deviam estar no Oscar como categorias.
— Isso seria uma boa, hein? De Volta às Aulas, o melhor filme da história, teria conquistado um Oscar de Sessão da Tarde. Justiça seria feita.
— Tango e Cash levaria o Oscar de Tela Quente, outra questão de Justiça.
— Mulher Nota 1.000 também.
— E Rocky.
— Mas espera aí. Rocky ganhou um Oscar de verdade. Um não, três! Inclusive o de melhor filme.
— Ganhou? Não é possível. Não me diga que Férias Frustradas também ganhou?
— Não ganhou. Mas merecia.
— Ah, merecia. No mínimo levaria o Oscar de Sessão da Tarde.
— Levaria. O de Sessão da Tarde do SBT, mas com certeza levaria.