terça-feira, 31 de agosto de 2010

Uma Breve História do Peru

- Acabo de descobrir uma coisa que me deixou besta.

- O quê? Da última vez que te vi assim foi quando descobriu que a Vovó Mafalda era homem. 

- Ah, mas o que mais me chocou naquela história não era o fato dela-dele ser homem. Isso me impressionou, claro. Mas saber que ela-ele não tinha netos foi foda. É o cúmulo da farsa circense. Só faltava não ser palhaça.

- Bom, não era muito engraçada, não. 

- Olha a bobagem! Toda vez que ela falava "caçarola!", eu me acabava de rir.

- Tá. Mas o que te impressionou?

- Outro dia me falaram que tem um outro país que chama Peru em outra língua qualquer. 

- Como é?

- A gente chama o país e o bicho de Peru, certo?

- Correto.

- Os EUA chamam a Turquia de Turkey, que é peru na língua deles.

- Certo.

- Bom, aí fui investigar qual era o outro país que chamava peru de país, de bicho ou o que fosse.

- E o que descobriu?

- Que os países de origem francesa chamam o perú, o bicho, de Índia.

- Ora, ora, ora.

- Chamamos a ave de peru. Os povos de língua inglesa chamam de turkey. Os de língua francesa de d'Inde, que é "da Índia". E o diabo do bicho não é originária de nenhum desses três países.

- É memo?

- É. Os portugueses acharam que o bicho era ali do Peru e deram esse nome, mas na verdade ela vivia no México. E até nos Estados Unidos.

- Cada coisa. E como é que o povo do Peru chama o bicho? Estados Unidos da América?

- Hahaha. Não, não. Chama Pavo. Meio que confundiam o Peru com Pavão e deram um nome similar.

- E um peru pequeno, como será o nome?

- Acho que pavinho. Ou pavuna.

- Igual o bairro da Zona Norte do Rio?

- Caraca, mas não é que o diabo do bicho é globalizado mesmo?