quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Tem Horas para Dar?

- Tive um problema muito sério vindo para cá hoje.

- Que foi?

- Queria saber as horas, porque esqueci meu celular em casa. E vim com essa dúvida na cabeça até aqui.

- Por que não parou alguém na rua e perguntou?

- Pensei nisso. Mas só cruzei com mulheres e com homens penteados. Aí preferi não arriscar.

- Eu sei que lá vem demência, mas explica isso melhor.

- Eu evito parar mulheres na rua. Elas podem achar que ou vou passar uma cantada ou que vou assaltar. E quero evitar confusão. 

- São mesmo coisas bem semelhantes assaltar ou cantar alguém. Eu mesmo já me confundi várias vezes. Na última, de início, achei que a mina ia levar minha grana. Quando vi, estava atracado com ela num canto qualquer, trocando intimidades. Pior: quando terminamos de nos portar como dois animais, ela bateu minha carteira mesmo, se portando como uma gatuna. E ela estava longe de ser gata, ironicamente. 

- Sério isso?

- Não. É que não entendo como você, parando alguém na rua e perguntando "que horas são?", pode levar a pessoa a achar que é assalto ou paquera.

- Nem eu. Mas já aconteceu comigo. Quase fui parar na delegacia certa feita.

- Como você costuma perguntar as horas? Pára a pessoa, tira do bolso uma meia-calça, coloca na cabeça e diz "passa as horas"? 

- Não.

- Ou pára a pessoa, pergunta "teria horas, coraçãozinho?" e dá uma piscadela sexy?

- Não.

- Então me explica como te confundem.

- Sei lá. Da última vez, a mina achou que eu ia assaltá-la e assediá-la. Tudo porque, percebi mais tarde, eu estava sem camisa, com a braguilha da calça aberta e sem cuecas.

- Você sai assim na rua?

- Só quando eu estou desesperado para saber que horas são. Aí saio de qualquer jeito, como ocorreu nessa última vez. 

- E os relógios da sua casa? 

- O que têm?

- Não estavam funcionando nesse dia?

- Eu estava tão desesperado para saber que horas eram que até esqueci-me deles. Saí correndo à rua como estava, seminu, para descobrir o horário. Mais ou menos como aconteceu hoje. 

- Mas hoje, por sorte, você estava vindo trabalhar. E, portanto, estava vestido e de cuecas.

- Pois é. Mas quis evitar a confusão e não parei nenhuma moça. Vai que eu estivesse sem camisa e sem cueca.

- Você não sabia como estava?

- Quando quero saber que horas são, fico um pouco avoado e distraído, sabe?

- Você falou ali em cima que também cruzou com vários homens pelo caminho. Mesmo assim não quis perguntar?

- Eu não disse homens. Eu disse homens penteados.

- Sei. E não quis perguntar para homens penteados por quê?

- Você confia em homem que se penteia antes de sair de casa? 

- Hummm.

- Nem eu. Preferi vir na ignorância a ser enganado por esses verdadeiros sacripantas. 

2 comentários:

Carol disse...

Muito bom, isso me lembrou uma colega de trabalho que pergunta assim: "Que horas é essa?"

Beijo

Tech42 disse...

Sempre muito bom ler o 2x1, sempre que eu preciso ser confundido eu venho aqui...

Mentira, eu não venho aqui, eu assino o feed.

Efusivos abraços!