quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Uma Ode ao Nani

- Como foi de ano novo?

- Até o ano novo, tudo bem. O problema veio depois.

- Vai me dizer que você também lamenta a morte do grande Eramos Dias e acha que deveria ser feita, além de uma canonização imediata, uma estátua dele dentro da PUC? 

- Não. O problema é outro.

- Seu comunistinha pilantra.

- Como? 

- Nada. Meu problema no ano novo foi escolha minha. No dia primeiro resolvi parar de fumar. Deus todo poderoso, como é difícil! Como eu planejava parar, fumei até quase morrer no dia 31. Aí dia primeiro até que foi tudo bem. No segundo, comecei a ficar irritado e com palpitações. Aí apelei para o nicorete.

- Ledo engano.

- Pois é. Nicorete na boca e lamber um cinzeiro cheio de filtro de Hollywwod é quase a mesma coisa.

- Eu sei.

- Aí, comecei a colocar cada vez mais nicorete, para ver se a vontade de fumar passava. Passou quando eu estava na ambulância, sendo levado ao pronto socorro.

- Pelo menos, passou.

- Passou, mas a que custo. De qualquer forma, logo depois de reanimado, voltou a vontade. Aí fiz de tudo para ver se passava. Tudo mesmo. Corri, gritei, entre outras coisas. Quando estava passando sangue de bode pelo corpo, a polícia me deteve.

- Hahahaha.

- Mas assim que souberam que eu estava tentando parar de fumar, me soltaram e deram até um segundo bode, de brinde, para eu sacrificar. Agora, no sexto dia, a vontade está pior do que nunca. Outra coisa que me falaram é que estou mais mal humorado, mas não notei ainda. Aparentemente, solto frases grosseiras sem perceber, no meio de uma conversa normal. Deve ser efeito colateral da falta de nicotina.

- Como o que?

- Com a porra da sua mãe, seu filha da puta!

- Caraca! Você está mesmo ficando agressivo sem perceber.

- Ah, não. Esse foi só um exemplo do que eu ando falando sem notar. Eu percebi que havia dito aquilo. Normalmente, pelo que me falaram, agrido verbalmente quando estou distraído, pensando em fumar.

- E você pensa muito em fumar?

- Não tanto. Agora, por exemplo, não sai da minha cabeça uma deliciosa sopa de nicotina, com diversas bitucas de Marlboro vermelho, boiando nela. Nham, Nham.

- Credo!

- Seu fresco com cara de melão!

- Essa foi sem querer?

- O "cara de melão" foi. Desculpe.

--------------------------

Texto 90% baseado nos últimos 6 dias do Nani.

2 comentários:

Flavinha disse...

Pobre Nani......

As primas disse...

ahahhaahhahh

ahh vá....parar de fumar é fácil, difícil é deixar de ser grosseiro hehe

Olivia